Home > A Obra > Discursos/Pronunciamentos

Discursos/Pronunciamentos


Pronunciamento de José Mendonça - Fidelidade ao Diocesano - agosto de 1962.

FIDELIDADE AO DIOCESANO

"Nestes dias, tão cheios de apreensões e inquietudes, quando o nosso Brasil passa por uma crise de profundas transformações sociais e políticas, desejo concitar os meus caros colegas e amigos a que mantenhamos a nossa fidelidade ao querido Colégio Diocesano.
Ser fiel ao Diocesano significa ser patriota autêntico, dos mais sinceros, dos mais puros, dos mais verdadeiros.
Porque dos queridos Irmãos Maristas recebemos, em nossa mocidade, constantemente, os melhores e mais nobres ensinamentos de amor à pátria, de dedicação aos seus direitos e aos seus interesses.
Fidelidade ao Diocesano significa devoção às nossas tradições de povo livre e cristão, amante da paz, da ordem, da justiça, da liberdade. Ser fiel ao Diocesano é pugnar, com ardor, pelo respeito à dignidade da pessoa humana, que não pode ser escravizada pelo comunismo e nem sujeita às humilhações e vergonhas da miséria, determinadas pela impiedade do capitalismo.
Fidelidade ao Diocesano significa o reconhecimento de que os valores espirituais e morais devem, sempre, ser colocados acima dos motivos materiais, que sobre nós podem influir.
Ser fiel ao Diocesano é considerar o trabalho como benção de Deus, fatos de toda riqueza coletiva e individual, do bem-estar dos homens e das famílias, da alegria de viver.
Ser fiel ao Diocesano é confessar fidelidade à democracia, o único regime compatível com nossa dignidade, porque é o que só nos obriga a fazer ou a não fazer o que a lei determina.
Fidelidade ao Diocesano é prática da Justiça Social Cristã, pregada pelos Santos Padres, através das Encíclicas 'Rerum Novarum', 'Quadragésimo Anno' e 'Mater et Magistra', e não justiça de escribas e de fariseus, hipócrita, falsa, que importa em clamorosa injustiça.
Ser fiel ao Diocesano é saber que, sem caridade cristã, não pode haver salvação.
Ser fiel ao Diocesano é possuir aquela Fé que remove as montanhas do ódio, da incompreensão, dos crimes, dos vícios e do pecado.
Ser fiel ao Diocesano é ter a clara, a luminosa esperança de que o porvir de nossa pátria há de ser dos mais belos, dos mais radiosos.
Fidelidade ao Diocesano exprime íntima convicção, certeza absoluta de que, pelo nosso esforço, pelo nosso trabalho, pelo nosso sacrifício, podemos construir um mundo melhor.
Ser fiel ao diocesano é proceder, sempre, todos os dias, pela mesma forma e com o mesmo amor com que procederíamos, se soubéssemos que a felicidade de alguém ou o bem da coletividade dependesse exclusivamente de nós.
Fidelidade ao Diocesano é fidelidade a Cristo, nosso Redentor, nosso Salvador, 'o Caminho, a Verdade, e a Vida'.
Ser fiel ao Diocesano é ser fiel à Santíssima Virgem Maria, Mãe de Deus e Nossa Mãe, Padroeira do Brasil, Rainha da Paz, Rainha do Céu e da Terra, nosso refúgio e nosso auxilio.
Fidelidade ao Diocesano exige combate firme a todos os inimigos da pátria, da família e da religião católica, aos divorcistas, aos imorais, aos corruptos, aos injustos, aos que exploram os seus semelhantes, aos que fogem ao cumprimento do dever, aos partidários dos regimes ateus e totalitários.
Ser fiel ao Diocesano é, antes de tudo, ser um servidor da humanidade, do Brasil, da família, do próximo, porque o próprio Jesus nos disse que veio para servir e não para ser servido.
Ser fiel ao Diocesano é ser bom, é ser honesto e virtuoso.
Caros colegas e amigos, sejamos fiéis ao nosso querido colégio diocesano, aos Caríssimos Irmãos Maristas, até o derradeiro instante de nossa vida. Fiéis ao Diocesano, seremos felizes, nesta vida e alcançaremos, com certeza, a eterna felicidade que Deus reserva aos seus fiéis."

Pronunciamento de José Mendonça, publicado no Boletim da Associação dos Antigos alunos, agosto de 1962.

Voltar


© Copyright 2004/2009 - José Mendonça. Todos os direitos reservados.