Home > A Obra > Discursos/Pronunciamentos

Discursos/Pronunciamentos


Parte do discurso pronunciado em 22/02/1936, por ocasião do centenário da Lei Provincial nº 28 de 22/02/1836, que elevou Uberaba a Vila.

"Uberaba!

Terra bendita da alvorada da minha vida; terra encantadora onde a infância se me decorreu feliz e deslumbrada; terra adorada onde tenho sonhado, amado e sofrido; terra das minhas horas de dor e das minhas horas de alegria; terra abençoada em cujo seio meu pai descansa; terra da minha mulher, terra dos meus filhos, terra dos meus irmãos; terra divina onde, como um favor de Deus, espero ter um recanto para o meu túmulo; terra da minha saudade, terra do meu amor e da minha ternura, terra da minha esperança!
És o meu entusiasmo, és a minha coragem, és a minha confiança, és a minha fé, és toda a minha fortuna!
Amo-te nos teus filhos, no teu casario entre folhagens, nos teus campos, nas tuas matas, nos teus vales, nos teus rios, nas tuas árvores, nas tuas colinas, nas tuas flores, nos teus pássaros, no teu céu, no teu sol cor de ouro, nas tuas estrelas maravilhosas!
Para onde quer que eu vá, levo-te em meu coração; onde quer que meus olhos se fitem, vêem a tua imagem sagrada; onde quer que eu esteja, ouço a tua harmonia muito doce a me embalar, porque estás sempre comigo, com a minha própria alma!
Uberaba dos horizontes amplos e dilatados, que se estendem para longe, para o infinito das distâncias, como se quisessem envolver a terra inteira, - Uberaba do firmamento muito alto e muito puro, como o idealismo da tua gente, - Uberaba dos crepúsculos maravilhosos, os mais lindos que há no mundo, - Uberaba dos rios largos e profundos, dos ribeirões, dos riachos, dos ribeiros, das águas cascateantes e das fontes, que brotam do solo ou cruzam o teu território, de lado a lado, como uma bênção a fertilizar todas as tuas regiões, -Uberaba dos rebanhos imensos, uma das maiores riquezas do interior do Brasil, que enchem os teus campos cor de esperança ou desfilam pelas tuas estradas, à toada das notas do aboiado, - Uberaba, audaz e magnífica, que enviaste filhos às Índias, para a escolha e compra de bovinos, com os quais formaste, à custa de muito esforço, de muita paciência, de muita sabedoria, uma raça nova, o "Indubrasil", que há de, um dia, conquistar todos os prados da nossa Pátria, os mercados de todo o mundo, - Uberaba das lavouras fartas, em esplêndida policultura, transbordantes das tuas próprias necessidades, abastecendo já outras e numerosas zonas do país, - Uberaba do comércio tentacular que irradia para todos os pontos o calor da tua própria vida, - Uberaba das fábricas e das indústrias, agitando, no alto, como cocares, penachos de fumaça escura, - Uberaba das dezenas de escolas primárias, das escolas normais, do ginásio, das escolas superiores, - Uberaba do centro de saúde, dos asilos, dos hospitais, dos sanatórios, do orfanato, da casa da criança, Uberaba da caridade e da ciência, - Uberaba das igrejas arquitetônicas, dos templos, dos conventos, Uberaba da religião dos nossos pais, - Uberaba de grandiosos edifícios públicos, de quatro mil casas, de praças ajardinadas, das estradas de ferro e das estradas de rodagem, dos seiscentos automóveis, dos palacetes, Uberaba pioneira do progresso no Brasil central, - Uberaba de uma imprensa brilhante, de uma centena de intelectuais, das associações de classes, Uberaba da inteligência e do saber, - Uberaba do Cruzeiro do Sul, esplêndido, nítido, fulgente, como se fosse o templo de Deus na terra, o Santuário que o próprio Senhor colocou no mundo, com a sua Cruz divina a brilhar lá em cima!"

Voltar


© Copyright 2004/2009 - José Mendonça. Todos os direitos reservados.